segunda-feira, dezembro 26, 2011

Simples Natureza

O sol irradia o chão
Deste quarto frio.
Aquecendo o meu coração
Que com a luz se abriu.

Como se o tempo parasse
E eu nem sequer reparasse,
Fico aqui sentado,
Olhando para o mesmo lado.
Olhando a luz do sol,
Ouvindo o rouxinol.

Chilreiam a toda a hora,
Os pássaros lá fora.
Mil e uma músicas cantam
Que a mim me encantam.

Existirá algo com mais beleza
Que a simples natureza?

3 comentários:

Francis Raposo Ferreira disse...

Amigo Manuel, de facto nenhuma outra beleza se poderá comparar à da mãe natureza, no entanto há outra forma de beleza, mais restrita, que me atrai de forma impulsiva, é a escrita, e a tua escrita é de uma grande beleza.
Abraço
Francis Raposo Ferreira

Antonise disse...

Parabéns, Manuel. Vi sua preocupação com a métrica, rimas, mas a beleza das palavras se estendem mais ainda na construção textual. Gostaria de ser seguidora do blog. Abraço, Antonise
antonisecoelho@hotmail.com
Veja nosso blog Tempo da Palavra
www.palavraenergica.blogspot.com

Luciana Saldanha disse...

Seu poema tras a delicadeza da natureza! o que o torna lindo.