domingo, dezembro 09, 2012

Desafio de ser poeta


O poeta nunca desiste,
Porque mesmo por vezes triste,
Ele liberta-se em palavras
Como se fossem as suas armas.
Numa pura alegria das rimas
Com as quais te animas…
Ou com a emoção dos versos
Que vão aos sentimentos submersos
Da tal "tristeza" poética,
Que por vezes se torna romântica
Num jogo simplesmente complexo
Que para alguns não tem nexo,
Mas para outros muito vale.
É esse o papel do poeta:
Lutar contra esse mal
De dizer que poesia nada vale,
É esse o alvo e as palavras a seta.
E com o tempo vai aperfeiçoando
E às costas o desafio vai levando
Mas poeta que é poeta
Não sente o peso
E disso eu não me esqueço.

Como me sinto amado


Como me faz bem ser amado.
Viajante desse mar
Pelo amor sou levado...
Numa inquieta forma de estar.

Surgindo suspiros no respirar
De uma maneira inesperada,
Na qual a felicidade é libertada
Sem sequer eu reparar.

Sentimento que contagia
Toda a gente que nos rodeia.
Inocente e pura magia
Que nos lábios o sorriso semeia.

Belos dias a teu lado
Cheios de calor e emoção.
Como me sinto amado,
Surgindo esta inspiração!

quarta-feira, novembro 21, 2012

Música


Apaixonei-me pelo som
De qualquer tom...
Em todo o lado a música
Acompanha os meus passos,
Para todos os lados...
Nada disto se explica,
Apenas se sente...
Quando na rua vamos
E os sons se juntam
Na nossa cabeça,
Os compositores somos,
E nela os sons lutam
Até que a música aconteça.
Uma autêntica orquestra
Com os sons que nos rodeiam,
Criando uma verdadeira festa
Com que nos premeiam,
Trazendo a nós a felicidade
Com toda a facilidade.
A música faz parte de mim...
E só espero que a idade,
Com todo o tipo de adversidade,
Me deixe continuar assim...

sábado, novembro 10, 2012

Inexplicável Dor


Triste e só…
Como se no meu coração
Apertasses um nó
Com exuberante comoção.
Como se tudo findasse,
E nada me amasse…

Triste e só…
As esperanças voam
Como se fossem pó.
Já não sei como soam
As palavras de amor.
Perdi-lhes o sabor…
Perdi a alegria
Que nas manhãs sentia
Quando acordava a teu lado
E sentia o teu corpo aconchegado.
Perdi a felicidade,
Ganhei a saudade…

Triste e só estou.
Tudo desapareceu…
Nem a luz ficou…

domingo, agosto 26, 2012

Falta de Atenção


Porque não me falas...
Deixas-me aqui assim,
Sem quereres saber de mim,
Enquanto fazes as malas...

É pena que o que sinto,
E acredita que não te minto,
Não te chame a atenção,
Não te atinja o coração...

É pena que o tempo,
Tal como o vento,
Não pare nem por um momento.

E assim te digo,
Como sempre te direi:
No amor sou mendigo
E contigo seria rei! 

terça-feira, julho 24, 2012

Amor, quem és tu?

Amor, quem és tu?
Tenho o coração nu...
Nada é igual ao começo.
Já mal te reconheço,
Perdi o teu sorriso
Nas ruas da memória,
Sem qualquer aviso
Nesta triste história.

Amor, quem sou eu?
Só e abandonado,
Entregue ao triste Fado.
Nada do que tenho é meu,
O pouco que tinha levaste.
Será que me amaste?

O que é realmente o amor?
Será esta eterna dor?
Ou será que estou enganado?
Talvez nunca fui amado... 

quinta-feira, maio 24, 2012

Intemporal Sensação


Sorriso maduro
De quem vive no futuro,
Numa vida fugaz
Onde o presente não satisfaz...

Feliz tristeza
De quem tem a certeza
Que neste mundo
Tudo passa num segundo.

Triste abandonado
Quem tinha sonhado
Que tudo era eterno
E não havia inferno.


sexta-feira, maio 18, 2012

Recordar


Uns vão,
Outros ficam.
Triste solidão.

Mas onde estão
Por nós olham.

Neles pensamos,
Com eles estamos
Nos nossos pensamentos.
Puros sentimentos
De quem amámos,
Quem nos ensinou,
Quem nos educou.

Continuamos a amar
Porque os sentimentos
Esses não morrem
Vão sempre perdurar
Em todos os momentos...

Eterna Saudade


Vazio,
Sinto-me cheio
De algo tão feio.
Alheio.

Vida finita,
Vida extinta.

Com a certeza,
Persiste a tristeza.

Quem já sentiu
Um autêntico vazio
Uma enorme saudade
De quem já partiu.

                                    Eterna Saudade... 

quinta-feira, abril 05, 2012

Navio do Amor

Navego contigo neste navio
Neste mar calmo e suave
Não há espaço para o vazio
Nada passa, nem a idade:
Estado de tempo indeterminado
Quando se está apaixonado.
Quando o que sinto por ti
É algo que nunca senti
Comandemos os dois juntos
Este navio pelo mundo.
E sem mais assuntos:
Nunca iremos ao fundo!

Adolescência


Esta noite comecei a pensar
Naquilo que me faz acreditar
Que um dia irei ser alguém:
Um homem trabalhador,
Cheio de paz e amor.
Mas ainda não sou ninguém,
Sou uma simples semente
Em rápida fase crescente!
Problemas de adolescente.


Mas o tempo rapidamente urge
E no horizonte o sol surge,
Deixando no passado as tempestades
Dessas complexas idades.

domingo, abril 01, 2012

Entardecer

Neste hora que entardece,
O meu coração entristece…
A minha alma arrefece...
E a minha mente esquece
Tudo aquilo que acontece.

Tudo desaparece,
Tudo ensurdece,
Mas até que tudo cesse,
Nada se esquece.
E como se no fim estivesse,
A mente enlouquece,
A alma escurece,
E o coração desvanece...

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Cego

Cego.
Sem ti navego.
Sem orientação,
Perdi a noção.
Cego..
Apenas a ti vejo
A ti me entrego
A ti me deixo...
Cego...
Nada te nego.
Nada te peço,
Apenas um começo.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Desabafo Nocturno

Pelo oceano navego.
Sozinho no meu mundo,
Permaneço cego.
Caminhando no fundo.

Invisível...
Insensível...

Cada momento
Surge a cada segundo
Sem limite de tempo.
Condensando o mundo
Num curto instante.
Ritmo incessante!

Vida fugaz!
Que não me satisfaz...