segunda-feira, janeiro 30, 2012

Desabafo Nocturno

Pelo oceano navego.
Sozinho no meu mundo,
Permaneço cego.
Caminhando no fundo.

Invisível...
Insensível...

Cada momento
Surge a cada segundo
Sem limite de tempo.
Condensando o mundo
Num curto instante.
Ritmo incessante!

Vida fugaz!
Que não me satisfaz... 

Um comentário:

Su Palanti disse...

Insatisfação... Instigante, motivante... Sua poesia é linda!