terça-feira, julho 24, 2012

Amor, quem és tu?

Amor, quem és tu?
Tenho o coração nu...
Nada é igual ao começo.
Já mal te reconheço,
Perdi o teu sorriso
Nas ruas da memória,
Sem qualquer aviso
Nesta triste história.

Amor, quem sou eu?
Só e abandonado,
Entregue ao triste Fado.
Nada do que tenho é meu,
O pouco que tinha levaste.
Será que me amaste?

O que é realmente o amor?
Será esta eterna dor?
Ou será que estou enganado?
Talvez nunca fui amado... 

12 comentários:

LOBA FIRE disse...

ADOREI BELISSIMO TEXTO! BEIJOS

LOBA FIRE disse...

BELISSIMOS TEUS TEXTOS ADOREI O BLOG! BEIJOS

Mel disse...

Amor... tu és a maior razão de minha existência. Tu estás aqui. Só não posso pegá-lo, mas senti-lo...Ah como é bom amar!
Belo poema amigo!

Ilia Noronha disse...

O amor é assim as vezes sabemos e outras não. Beijos e adorei aqui <3

Cirlei Souza disse...

Muito lindo, parabéns!

FatinhaMussato disse...

Belas palavras transformadas em versos, amigo poeta! Gostei muito do seu blog! Parabéns!

☆Fanny☆ disse...

Amor rima com dor...e não deve ser por acaso!
Lindo poema, Manuel! Fica a interrogação...sempre...porque o amor, parecendo simples, no nosso coração permanecem eternas dúvidas...

Beijinhos da Fanny*

Oneida Matos disse...

Muito bom amigo, continue a escrever e levar luz à todos os leitores! Parabéns

Anônimo disse...

há um vazio no peito,
que nem a altissima razão
traz compreensível explicação
Amor...Amor...Amor...
tão pequeninos somos,
para imensa compreenção.
Gostei muito do seu poema, que até a prosa ganhou rima! rss

Marilda Raposo Monalisa

Jonas R. Sanches disse...

Gostei da sua poesia Amigo... Essa aqui é muito profunda...
Te aplaudo!!

Boa noite e um grande abraço!

Sandra disse...



Gostei muito das suas poesias, vou voltar mais, beijos coloridos.
Sila- Sisoyyo

Debs disse...

Lindo lindo lindo , estou apaixonada pelos seus textos =)