domingo, agosto 26, 2012

Falta de Atenção


Porque não me falas...
Deixas-me aqui assim,
Sem quereres saber de mim,
Enquanto fazes as malas...

É pena que o que sinto,
E acredita que não te minto,
Não te chame a atenção,
Não te atinja o coração...

É pena que o tempo,
Tal como o vento,
Não pare nem por um momento.

E assim te digo,
Como sempre te direi:
No amor sou mendigo
E contigo seria rei! 

4 comentários:

mara paulina arruda disse...

Manuel Rosa. Bonito o seu BLOG. Gosto muito das poesias de Fernando Pessoa seja qual for o heteronimo! Um grande abraço e continue escrevendo.
Interessante que também escrevi um texto com o título Ines, baseando-me em Gil Vicente!

Anne Lieri disse...

Manuel,que beleza de blog e adorei a sua poesia!Sensivel,triste mas muito linda de fato!bjs e meu carinho,

José María Souza Costa disse...

Manuel, a vida exige de cada um, determinados comportamentos, que enalteça a Alma, muitas vezes enamorante. gostei do que li. Estou lhe deixando um convite
Passei por aqui, para lê o seu blogue.
Admirável. Harmonioso. Eu também estou montando um. Não tem as Cores e as Nuances do Vosso. Mas, confesso que é uma página, assim, meia que eclética. Hum... bem simples, quase Simplória. E outra vez lhe afirmo. Uma página autentica e independente. Estou lhe convidando a Visitar-me, e se possível Seguirmos juntos por Eles. Certamente estarei lá esperando por você, com o meu chapeuzinho em mãos ou na cabeça.
Insisto que vá Visitar-me, afinal, o que vale são os elos dos sorrisos.

www.josemariacosta.com

Vera Aguiar disse...

Belo poema, claro e de linguagem única, parabens, bjs.