domingo, dezembro 09, 2012

Desafio de ser poeta


O poeta nunca desiste,
Porque mesmo por vezes triste,
Ele liberta-se em palavras
Como se fossem as suas armas.
Numa pura alegria das rimas
Com as quais te animas…
Ou com a emoção dos versos
Que vão aos sentimentos submersos
Da tal "tristeza" poética,
Que por vezes se torna romântica
Num jogo simplesmente complexo
Que para alguns não tem nexo,
Mas para outros muito vale.
É esse o papel do poeta:
Lutar contra esse mal
De dizer que poesia nada vale,
É esse o alvo e as palavras a seta.
E com o tempo vai aperfeiçoando
E às costas o desafio vai levando
Mas poeta que é poeta
Não sente o peso
E disso eu não me esqueço.

Como me sinto amado


Como me faz bem ser amado.
Viajante desse mar
Pelo amor sou levado...
Numa inquieta forma de estar.

Surgindo suspiros no respirar
De uma maneira inesperada,
Na qual a felicidade é libertada
Sem sequer eu reparar.

Sentimento que contagia
Toda a gente que nos rodeia.
Inocente e pura magia
Que nos lábios o sorriso semeia.

Belos dias a teu lado
Cheios de calor e emoção.
Como me sinto amado,
Surgindo esta inspiração!