sábado, março 02, 2013

Lágrima


A lágrima escorre pela face,
Brilhante e paciente,
Bastante suavemente
Daquele que, amor, julgasse
Ser o seu refúgio…
E agora, no chão sujo
Vive só, sem ninguém.
A dor sempre vem
Mas nunca vai...
Nunca do coração sai.
Triste e cruel tropismo
Despido de sentimentalismo.
Resta apenas a respiração…
Profunda solidão... 

Um comentário:

Solange Moreira de Souza disse...

Oh amigo que lindo!!!
Me fez chorar.
Beijos
Parabéns